terça-feira, 18 de julho de 2006

... Terrorismo 2ª Parte ...



... Se recuarmos no tempo, até ao período que antecedeu a fundação do estado de Israel, deparamos com inúmeras semelhanças com o que se passa hoje em dia na Palestina. Arafat foi durante muitos anos o lider incontestado da Organização de Libertação da Palestina, OLP, e utilizou meios francamente reprováveis para provar a sua razão e fundamentar o anseio de uma nação Palestina. O terrorismo, com o recurso a desvio de aviões para Cuba e os atentados contra interesses judaicos foram os argumentos encontrados para defender a causa. Anos antes já os judeus haviam utilizado os mesmos argumentos, nomeadamente os atentados, então contra os ingleses que administravam os territórios onde hoje se instala o estado de Israel. A destruição da ala sul do hotel King David, em Jerusalem, pelo Irgun, a 22 de Julho de 1946, matou 91 pessoas, a maioria funcionários do governo britânico e membros da autoridade militar na Palestina. Curiosamente em 1946 estes territórios chamavam-se Palestina e não Israel, curiosamente alguns dos membros do Irgun viriam a tornar-se figuras destaque dos governos de Israel.

Qual a diferença entre os terroristas judeus e os árabes? ...

2 comentários:

Xavi disse...

Quanto a mim, a unica diferença assenta apenas no lado de onde estão...e quando digo lado, não me refiro ao correcto ou ao errado...refiro-me apenas ao X ou Y...pois cada um se considera dono da razão....!

A questão é: Será que algum a tem, verdadeiramente??Se calhar nunca saberemos...

Aurelio disse...

dever ser muito duro para o senhor a fase que está a atravessar... que lhe sirva de emenda, nem sempre as pessoas sinceras e frontais triunfam.

forte abraço de apoio

aurelio estorninho

aguiamoribunda.blogspot.com